Edleuza
Imagem DEZ mesmo!!!

Edleuza

ETERNO (excerto)

Carlos Drummond de Andrade


Eterna é a flor que se fana
se soube florir
é o menino recém-nascido
antes que lhe dêem nome
e lhe comuniquem o sentimento do efêmero
é o gesto de enlaçar e beijar
na visita do amor às almas
eterno é tudo aquilo que vive uma fração de segundo mas com tamanha intensidade que se

[petrifica e nenhuma força

[o resgata.



Edleuza
"Hum... tem alguma coisa nesta fábula que não faz sentido.

Não seria mais fácil continuarem todos juntos se aquecendo e simplesmente excluírem o porco-espinho? Melhor uma espécie desaparecer da face da terra do que todos os animais.

Moral da história: Por que sou obrigado a conviver com pessoas cuja natureza é só ficar me espetando? Eles é que arrumem outro 'porco-espinho' para se esquentarem (rs)"


Kkkkkkkkk!! Cleiton,

sabe que já pensei exatamente isso sobre algumas espécies? Por que tantos bichos nojentos, horrorosos (não é o caso do pobre porquinho...) e perigosos existem??! Qual sua utilidade, afinal?


Antes que algum biólogo me escute, ou que a própria vida se encarregue de me dar mais uma de suas respostas, parece que é assim mesmo: em se tratando de convivência, semelhante à fábula, não há perfeição, segurança ou conforto absoluto, pois somos essa duplicidade de seda e espinho, aconchego e afastamento, carência e amor.


Se a vida fizer sentido estando ao lado de quem estamos, então está tudo certo.



Edleuza

"Cruzes", mesmo!!... Estava fazendo um trabalho importantíssimo e, de repente, puft!, a luz acabou! Resumo da ópera: não consegui mais dormir esta noite, afinal, 6h da madruga tinha que enviar o arquivo.

(Desculpa, aí, Loro...)


Apagão atinge ao menos 9 estados no país

Por Bruno Marfinati

SÃO PAULO (Reuters) - O apagão que atingiu várias regiões do país na noite da terça-feira foi causado pelo desligamento completo da usina hidrelétrica de Itaipu devido, possivelmente, a uma forte tempestade, afirmou o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, a jornalistas em Brasília.

O abastecimento de energia elétrica foi interrompido por volta das 22h15 (horário de Brasília) em pelo menos nove Estados. Cidades de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Pernambuco e Bahia foram afetadas.

De acordo com o ministro, o Estado do Rio de Janeiro foi o mais atingido, e a falta de luz também foi registrada no Paraguai.

"Não se sabe exatamente a causa, mas imagina-se que questões atmosféricas, tempestade de grande intensidade, possam ter contribuído ou determinado o desligamento das linhas de (trasmissão) de Itaipu", disse Lobão a jornalistas em Brasília ao sair de um evento.

Na cidade de São Paulo, o apagão complicou o trânsito, paralisou o sistema metroviário e interrompeu parcialmente telefones fixos e celulares. Por volta da 1h10 da madrugada desta quarta-feira, a energia havia voltado parcialmente a algumas regiões da cidade.

As ruas do Rio de Janeiro, sem luz, estavam desertas, com pouco policiamento e apenas alguns carros e ônibus circulando. No aeroporto do Galeão, os passageiros que desembarcavam por volta das 23h (horário de Brasília) eram alertados por alguns motoristas de táxi a não deixarem o local por risco de arrastão. Entretanto, no caminho até a zona sul nenhuma via estava congestionada.

"O sistema não é frágil, o sistema é um dos mais fortes, mais seguros do mundo. Nós temos 98 por cento do sistema interligado. O que aconteceu haverá de ter sido um acidente e não deficiência do sistema", disse Lobão.

Pelo menos 17 mil megawatts, o suficiente para abastecer o Estado de São Paulo, saíram do sistema elétrico nacional, informou a assessoria de imprensa do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

"Houve também desligamento de algumas linhas abastecidas por Furnas. Ao desligar a linha de Itaipu, outras linhas, por consequência, dentro do sistema interligado, também saem de funcionamento", disse o ministro.

Itaipu fornece cerca de 20 por cento da energia ao Brasil, porém mais de 90 por cento ao Paraguai, onde foi registrado um corte no fornecimento de energia que durou cerca de 15 minutos. Segundo moradores da capital Assunção, o abastecimento foi logo restaurado.

Lobão afirmou ainda que "dentro de muito pouco tempo seja possível (...) restaurar o funcionamento de todas essas linhas."

(Reportagem adicional de Brian Ellsworth, Guillermo Parra-Bernal e Todd Benson em São Paulo e de Stuart Grudgings e Denise Luna no Rio de Janeiro)

Edleuza



Fábula do porco-espinho


Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.


Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos e assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente. No entanto, os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente aqueles que ofereciam mais calor.


Por isso decidiram se afastar uns dos outros... e voltaram a morrer congelados. Precisavam então fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra, ou aceitavam os espinhos dos companheiros.


Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos e dessa forma aprenderam a conviver com as pequenas feridas que a relação com alguém muito próximo podia causar, já que o mais importante à vida era o calor do outro. E assim sobreviveram.


Moral da história: melhor relacionamento não é o que une pessoas perfeitas, mas aquele em que cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e a admirar as suas qualidades. (Autor desconhecido - Texto enviado por Ivan, um amigo)

Edleuza

Esta semana não será nada fácil...

Então, um poeminha pra inspirar!



Reciclagem


Dos restos de ilusões, se reconstrua,
No caminho perdido, há um novo rumo.
Só guarde do passado, um resumo
Na alma, onde ninguém roube ou destrua.


Revista de esperança, a alma nua.
Decomposto o jardim, ficou o humo
Que nutre a nova planta, e dá aprumo.
E assim, pensando vá. Reconstitua.


Os versos que morreram na garganta
Podem dar vida a um novo poema,
Crescer e florescer com um novo tema.


Nunca desista do que mais te encanta,
Pois a vitória é de quem acredita
E a luta é pra sempre, é infinita.


(Camélia La Branca)

Edleuza
Isso é que é eficiência! hahaha


Há uma regrinha de ortografia que diz:
"Usa-se -m antes de -p e -b"

bombeiro, campo, embrião, tampa, samba, sempre, ambulância... e assim por diante.

Está aí uma norma bem fácil de ser assimilada. Eu diria que esse é um dos deslizes ortográficos que menos aparecem nos textos dos alunos com os quais trabalho.

Até aí, tudo bem, mas... alguém, alguma vez na vida, já se perguntou por que "tem" que ser assim? Por que a gente "tem" que escrever -m, e não -n, se as duas letras produzem som nasal?

Não sou contra regras, desde que haja uma explicação plausível para obedecê-las, algo que me dê a sensação de "Ah, tá, agora entendo por que se faz assim...".

Hoje sei que esse detalhezinho na escrita, usar sempre -m antes de -p e -b, não foi determinado ao acaso, ao bel-prazer de um sádico qualquer (ai, que exagero!...), ao contrário, levou em conta um critério bastante significativo em nossa língua, o fonético.

É bem simples: as letras m, p e b são as únicas explosivas bilabiais do nosso alfabeto, ou seja, para que elas possam ser ditas nossos lábios precisam se unir. Experimente! Fale: meu / pai / bom. Sentiu como os lábios necessariamente se juntam para o som poder explodir e sair? (Não é por acaso que o beijo, assim como a palavra que o traduz, é realizado com a união dos bios... - Hum!... Lindo, não?)



Edleuza

Homófona do momento:cassados

Mais de 300 políticos já tiveram mandatos cassados
Uma pesquisa divulgada pelo MCCE reverla que diversos políticos já foram ca
ssados

Uma pesquisa divulgada pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) revelou que, do final de 2008 a março deste ano, 357 prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos no ano passado foram cassados por compra de votos ou uso eleitoral da máquina administrativa.

O levantamento teve como base dados da Corregedoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi analisada a situação de 84,74% das zonas eleitorais do país.

Entre 119 vereadores cassados por compra de votos no período considerado, a maioria (50 casos) tinha atuação na região Nordeste. Também já perderam mandato 238 prefeitos e vices eleitos em 2008.

O número de mandatos interrompidos pode crescer bastante nos próximos meses. A corregedoria do TSE contabiliza outros quatro mil processos relacionados à corrupção eleitoral ainda pendentes de conclusão, 3.124 deles referentes à compra de votos no último pleito.

O aumento de cassações reflete a aplicação da Lei 9.840, de 1999, originada de iniciativa popular. O MCCE é formado por 40 entidades da sociedade civil, movimentos sociais e igrejas. (Agência Brasil)


Relembrando...
Homófonas: mesmo som, mas escrita e significado diferentes

Caçar / Cassar

Caçar: perseguir para matar. "Caçar onça."
Cassar: anular, revogar. "O Kassab foi cassado?!"


Parônimas: palavras parecidas
Mandado / Mandato

Mandado: ordem, encargo.
"Recebeu um mandado de prisão."

Mandato: concessão de poderes para desempenho de uma representação.
"O mandato do prefeito foi cassado."



Edleuza
Hum... não se engane...
Embora todo moderno, numa supermoto e cheio de estilo, esse lobo continua maUUUUUUUUUUUU...


Mau, com U, é contrário de bom.

1. Bom trabalho. Mau trabalho.
2. Homem bom. Homem mau.
3. Bom momento. Mau momento.
4. Bons antecedentes. Maus antecedentes.
5. Boa ideia. ideia.


No restante das situações, usa-se mal, com L
.
Alguns exemplos:

Estou me sentindo muito bem hoje!
Estou me sentindo muito mal hoje!

Estava sempre mal-humorado.
Estava sempre bem-humorado.

Mal chegamos e já começou a chover.
A bem não chegamos e já começou a chover.

Dirige muito bem.
Dirige muito mal.

Foi muito bem tratado na cidade.
Foi muito mal tratado na cidade.

Isso me causa um enorme mal-estar.
Isso me causa um enorme bem-estar.


Há pessoas que só sabem falar mal dos outros.
(falar mal, falar bem)
O dinheiro mal deu para comprar o básico.
Não deseje o mal para ninguém. Deseje sempre o bem.
Não me leve a mal, mas preciso ir.
"Longe do meu domínio, cê vai de mal a pior..."
Se não for por bem, vai por mal!

Edleuza
Quem lê... sonha diferente

Edleuza

Há algum tempo recebi uma mensagem que me chamou a atenção. Não havia o autor das considerações feitas, mas, procurando na internet, é possível encontrar vários sites que discutem a questão.

Canções de ninar no Brasil


♪♫♪ Boi, boi, boi,

Boi da cara preta,
Pega essa menina que tem medo de careta... ♫♪

Por que fazer a criança dormir sob ameaça?! Algo do tipo: "dorme logo, senão o boi vem te pegar!"


Ah, não, passemos a outras canções infantis, pois não é nada agradável ficar ameaçando um inocente toda noite com um temível boi bravo...


Que tal essa:

♪♫♪ Nana neném

que a cuca vem pegar

Papai foi pra roça

mamãe foi trabalhar ♫♪

Caramba!... Que medo! E agora é com um bicho ainda mais assustador! Não é de se admirar que com tanta violência, medo e ameaça incutidos desde a infância, muitos brasileiros tenham hoje uma visão tão distorcida de si mesmos e dos outros.


♪♫♪ Atirei o pau no gato-to-to,

Mas o gato-to-to não morreu-reu-reu

Dona Chica-ca-ca admirou-se-se

Do berro, do berro que o gato deu

- Miaaau! ♫♪

Esse clássico do cancioneiro infantil nada mais é que uma demonstração clara de crueldade e falta de respeito aos animais. Por que atirar um pau (ou qualquer outra coisa) num gato, cachorro, passarinho, criaturas tão indefesas?


♫♫♪ Eu sou pobre, pobre, pobre

de marré, marré, marré

Eu sou pobre, pobre, pobre

de marré de si

Eu sou rica, rica, rica,

de marré, marré, marré

Eu sou rica, rica, rica

de marré de si. ♫♪

Quer uma musiquinha mais eficiente que esta para incutir a autocomiseração, a comparação injusta e a desvalorização do ser em detrimento ao ter? (Isso me fez lembrar de uma propaganda que ficou pouquíssimo tempo no ar - ainda bem!! -, na qual uma criança, segurando seus brinquedos novos, cantarolava debochanco da outra: “♫♪ Eu tenho, você não te-em... ”)


Mais uma:

Vem cá, Bitu! Vem cá, Bitu!
Vem cá, meu bem, vem cá!
Não vou lá! Não vou lá, Não vou lá!
Tenho medo de apanhar. ♫

Quem foi o sádico que criou essa rima? No mínimo ele também espancava o cachorro.


Olha essa:

♪ Marcha soldado, cabeça de papel
Quem não marchar direito
Vai preso pro quartel. ♫

De novo, ameaça: ou obedece, ou obedece!...


Espírito cooperativo:

A canoa virou
Quem deixou ela virar
Foi por causa do (fulano/a)
Que não soube remar

Em vez de incentivar o trabalho em equipe e a compreensão, as crianças brasileiras são ensinadas a dedurar e a condenar seus semelhantes.


Sensibilidade humana:

♫♪ Samba-lelê tá doente

Tá com a cabeça quebrada
Samba-lelê precisava
É de umas boas palmadas

Samba, samba, samba-lelê

Samba, samba, samba-lelê

Samba, samba, samba-lelê

Samba, na barra da saia... ♫♫♪

Humanidade, compaixão e apoio? Nada dissso, exploração, intolerância e violência.


União e harmonia:

♫♫♪ O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada
O cravo ficou doente
A rosa foi visitar
O cravo teve um desmaio,
A rosa pôs-se a chorar ♪♫♪

Estampado nos noticiários e no rosto das vítimas: a violência doméstica é um dos fatores mais destrutívos da infância e do lar (a criança um dia cresce, sob os modelos que tem).


Visão um pouco diferente da apresentada aqui: Cantigas Infantis e a tradição Cultural


Para saber mais: Cantigas Infantis e a violência

Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails