Edleuza
Esta é minha mãe.


Maria de Lourdes da Silveira

Não vou conseguir colocar em palavras tudo o que ela representa para mim, até porque não quero chorar durante a postagem, nem que ela o faça, enquanto lê...

Só sei que passou por situações dificílimas na vida, e aguentou tudo por amor aos filhos. Plantou em nós o amor, a união e a oração, e hoje, se algo acontece a um de nós, de bom ou de ruim, é como se vibrasse ou se doesse em todos. A ligação é eterna.

Quantas vezes telefonei pra ela somente para ouvir sua voz, seus conselhos ou sua risada. Tem um jeito de olhar que alcança a alma, é como bálsamo e remédio.

Faz um feijão de corda com farofa de frango que eu não sei explicar o que tem!

Mas o mais admirável, pra mim, é a força que ela encontra para superar a dor, e o otimismo que transmite, mesmo em meio a situações difíceis.

Minha mãe é assim: força-ternura-e-sonho.

PARABÉNS, querida,
por tudo que é e pelo que deixou em cada um dos seus filhos! Saudades!





Edleuza
Essa foi uma boa, aliás, uma ótima jogada de marketing do Timão!



Vamos a mais uma convenção sobre o uso da vírgula?


2 - USA-SE A VÍRGULA PARA SEPARAR TERMOS EXPLICATIVOS, RETIFICADORES OU CONTINUATIVOS


Alguns exemplos: isto é, por exemplo, ou seja, a saber, digo, por assim dizer, ou melhor, então, dessa forma, desse modo, com efeito, além disso, aliás, a meu ver, ao contrário, a propósito, por assim dizer, por outro lado, vale lembrar, vale dizer etc.


Dentro do texto:


Ajudar o aluno a desenvolver a autonomia em seus estudos é necessário, ou melhor, imprescindível. Além disso, mais importante que deter um volume excessivo de informações é saber onde e como procurá-las. O estudante de Letras pode, por exemplo, não internalizar todos os casos de uso obrigatório da próclise, mas precisa, no entanto, saber que parte da gramática trata desse assunto, para poder pesquisá-lo.


(Saudades do pessoal de Letras, Morumbi Sul, sempre!)



Edleuza

Vamos continuar a exposição sobre a VÍRGULA, um sinal de pontuação que muitos acham um tanto complicado de se entender e por isso não usam, ou quando o fazem, bate uma insegurança e acabam deixando por conta da sorte!


Mas loteria e uso desse sinalzinho tão importante não tem nada a ver! Trata-se, como já falamos anteriormente, de uma questão sintática. Sua aplicação obedece a regras que, na maioria dos casos, objetiva a clareza do texto. Assim, é só começar a conhecer as tais regrinhas e a insegurança na escrita tende a desaparecer.



Então vamos começar!



I – USA-SE A VÍRGULA PARA SEPARAR VOCATIVO



A palavra vocativo vem do latim, vocare, que quer dizer invocar, chamar. É o termo ao qual dirigimos a palavra.


O vocativo é independente, não faz parte do sujeito ou do predicado, e por isso deve ser separado por vírgula. Ele pode aparecer no início, no meio ou no final da frase. Exemplos:


Mãe, você viu meu tênis?

Você viu, mãe, meu tênis?

Você viu meu tênis, mãe?



Vai, carro, anda logo!

Vai falhar logo agora, caneta maldita?!

Internet, eu te adoro!!



E aí vem a estreita relação do vocativo com a vírgula: sem o uso deste sinal, o significado do texto pode ser totalmente alterado. Observe:


Você viu o padre Pedro?

Você viu o padre, Pedro?


Não acredito! Nosso carro virou gente!

Não acredito! Nosso carro virou, gente!


Por favor, ouça minha mãe.

Por favor, ouça, minha mãe.


Paula vem almoçar conosco hoje.

Paula, vem almoçar conosco hoje.



Percebe que o sentido é totalmente outro com o uso da vírgula? Poderosa, não?...







Related Posts with Thumbnails
Related Posts with Thumbnails